19 de dez de 2010

Outro prato novo na mesa




Mais cartuns, pra quem nunca viu eu já fiz outros. Esses também fiz atrás de prova. Pra ver maior e melhor é só clicar na imagem.













9 de dez de 2010

Céu da boca




Chove vestibular, e a seca continua.



Outros ossos

Outros ossos
seus,
se juntaram no meu esqueleto,
firmaram-se na caveira,
fizeram,
brotaram,
como se você fosse seus ossos,
minhas lembranças,
meus pedaços,
Que se juntaram no seu osso,
e fizeram-se branco dentro do meu músculo,
dentro de mim



TROVA

as e os novos corações
cantam a vida
e vivem canções

os e as velhas.
Meu Deus!
tentam lembrar seus refrões



na corda

O que fazer se não morrer
quando só existe dor?
E viver? nem sei,
se assim carrasco ou salvador



Retrolembranças

Ah! Naquele tempo gostava dela
Mais dez anos depois de separado
ainda Mais dez vezes tinha gostado



Relembranças

O que era tão bom
Era até mentira



Casamento perfeito

Já arranjei alguém
que me elogie
regularmente



serter

O quê você vai ter quando você crescer?
Eu sou um carro novo
Nem se eu roubasse conseguiria ser
Eu tenho a voz do povo




Degustação


Porei-me em um prato de prata
não só a minha cabeça
mas minha carne farta.
pra ver se arranjo algum acompanhamento
na mesa já posta.

Amaciei-me.
Tirei azedume.
Lavei o cheiro.
Limpei estrume.
Oferendei-me em partes deglutíveis.
Ainda entalo em algumas gargantas
mas a mim tenho gostos aceitáveis

Surpreendo eu mesmo no banquete,
afiando os talheres, apreciando cardápio
Será que comendo me deleite?
Estou cá vendo esse porco assado,
mesmo sendo eu, porco.
Estou aqui,
aguardando.
Pode ser que sirvam
alguma consciência bem temperada.



verbete

o que diferencia
óxido de diidrogênio
de
água?
algumas letras,
alguns óculos.
Deve ser isso que significa
sujeito letrado.








Inté