20 de ago de 2011

Dieta



O céu tá de nuvem. Enquanto isso escrevo:



donde?

Não quero
me perder
enquanto me
encontro



5ª Av.

Era um cara
do seu lado
Era um cara
o encarava.
Era uma cara
a mais que passou



camuflado

O caos me chama
em todos átomos
quando escrevo bestamente
reflito e acovardo
meu medo é minha fraqueza
enquanto ainda o quiser



Meu legado

O que me apaixona
(e me enraivece)
é que é
você quem me lê



Passante

meras besteiras
essas gravidades da vida



ROLHO

O gordo rolou o olho
no bolo
comeu-o todo
se possível engoliria o globo
não sofreria
nenhum engodo
a não ser outro bolo
recheoso bolo
para tentar essa glutão



em

prazer que tenho
profundo
quando você é em mim
aí sinto o meu não ser posse
sinto-se conjunta mente
inteiro
partir para o nós
possíveis



soma

Todos estão numerados
todos
terrenos brancos ruas pardos
e os números amam-se
até adquirem um certo grau de imprecisão numérica
respiram nas calculadoras

a beleza das dízimas
as infinitudes das dúzias
esquece-as, esqueça
infinitamente calculais



descer

Quantos seres
não são
mais do que
puras inexistências



extra

e os superhomens alérgicos a pó
morreriam de pedras verdes
esmeraldas radioativas
elegantemente mortais
vale até vir de outro mundo.
pra morrer dessas besteiras



paratempo

Menos dias pro meu calendário
vou arrancar nem meia folha
para que os segundos grampeados rendam
que esses dias aí da parede
não corram nas minhas mãos
já riscadas como celas
superlotadas
de histórias



alustre

Diálogo mais óbvio
não existe do que
esses olhos mais úmidos
que guardam lágrimas
espalhadas nas orbes
esperando algo a mais
além do frio brilho
dos retratos e
dos cristais



depois

fracos são
os ossos
a voz é o que
sobrevive



disritmias

De minha parte
sempre quis amar-te
meu coração talvez não opere
talvez não se encaixe



meu centro

aceito as modificações
o mundo gira dentro do meu umbigo
e que belo giro levo comigo








Inté