26 de mai de 2010

Eu empacoto, Tu empacotas, Ele empacota ...



Iow, o último não fui eu quem inventei. Um amigo meu disse e eu só transcrevi.



Porta-treco

Queria fazer mais mil coisas
mil coisas
mil coisas

Eu ter que ser mais mil coisas
mil coisas
mil coisas

Eu tenho que ter mais mil coisas
mil coisas
mil coisas

Cá dentro repleto de coisas
mil coisas
mil coisas

Cabulo, vou sendo; que coisa?
mil coisas
mil coisas

Compro-me, vendo-me, parto-me, me coisas
mil coisas
mil coisas

Enjoo de ser só que coisa!
mil coisas
mil coisas

Mais mato, mais nascem, mais coisas
mil coisas
mil coisas

Mas coisas não morrem, são só coisas
mil coisas
mil coisas

Então sou eterno, sou coisa,
mil coisas
mil coisas

Larga de doido fala coisa com coisa
mil coisas
mil coisas

Para com isso, vai tomar alguma coisa
mil coisas
mil coisas

Que raiva, que raiva
mil coisas
mil coisas

Que nada, que nada
mil coisas
mil coisas

Misturo-me coisas
mil coisas
mil coisas

E diga tudo que diz, e por dentro você diz mais, e não ouço o que mais diz. Se uma são mais mil coisas
mil coisas
mil coisas

Não quero mais contar, não quero ser mais coisa
mil coisas
mil coisas

Que eu não são um, que eu é mil coisas
mil coisas
mil coisas

Que só troca palavra, que só troca as coisa
mil coisas
mil coisas

Me troco por mim, me escambo por coisa
mil coisas
mil coisas



Retina

Mostrei o país
a guerra
as mortes
os morros
as classes
os apês
os mangues

Mostrei as cabeças
as faces
os rostos
os desejos
as raivas
os paradoxos
as desavenças

Mostrei as gentes
as faces da guerra
a morte nos rostos
os desejos dos morros
as raivas das classes
os paradoxos dos apês
as desavenças do mangue

Mostrei?
Não!
Está à mostra.



Vieuda

Ah! Vida cheia de curvas,

Cheia de curvas vida

Por que não me mostra?
Cá está a reta.
Venha cá, siga essa seta.

Mas vida,
agora notei que você não á nada,
é um pano branco,
uma voz alheia,
que de ser eu, nada;
vida!

Não.
Sou só ser vivo.

E isso é o pior,
minha vida de mim,
não dependo de carregar algo,
empurrar algo,
puxar algo,
enterrar algo,

Devo só me viver,
Viver-me!
Fazer de mim eu mesmo
de mim eu vida
De vida eu
Eu sou Vida
Eu sou Eu
Vida sou Eu
Vida sou Vida
Vidaeu
Videua
Uvieda
Davieu
Aeiudv
Edivau
Vieuda
VIEUDA.



Norma inculta

É pra mim comer.
É pra mim comer, mesmo.
Vai ser eu que vou comer,
Então eu como do jeito que eu quero




Inté

17 de mai de 2010

[E nada existe, nada mais essência/ Tudo aspa e reticência]


pondo mais. Não sei se é verdade, mas parece que aqui eu falo com o vácuo. Um vazio é a minha resposta e o meu ouvinte? Liga não vácuo, tudo bem, você é um ótimo interlocutor.


Super bonder

Tire o meu caminho,
da minha taça,
do meu vinho,

Não a mim,
Não ao não,
escravo meu,
escravo eu de mim,
ao berço feito de fim,
estante,
estado,

Jogado,
eu jogo o jogo,
eu jogo meus dados,
feitos dos cacos quebrados,
como casca quebrada de ovo.

Puzzle,
visível,
indivisível,
incrível,
quebradiço nível,
indiviso indivíduo.




Pêlo

Ser adulto,
rijo,
calejado,

E a pele nova
olha a pele velha,
só vê calo,

E a pele velha
olha a pele nova,
só vê frágil,

Me diz
Qual pele vê outra?
Se pele sem olho,
se pele só cega,

Se pele,
peço que pense,
peço que sinta,
sinta na pele,
o que é ser na outra pele.

Pele pelada.

Pelo outro
Pele outra




Chão seco

Tantos Nordestes,
Tantos Nordestes,

andam espalhados,
migrando nas casas,
vejo mais ardente sol em toda cidade.
Em toda mulher, todo homem,
já soou o mais ritmo Nordeste.

Em todo canto há um caco,
pedaço Nordeste,
quebrado em cada cidade,
disperso no vento de cada paragem.

Ah! Sublimas-te o sertão, maldito sol agreste,
Respira-se Nordeste,
Transpira-se Nordeste,
Chove-se Nordeste,
Alaga-se Nordeste,
Chora-se Nordeste,
Come-se Nordeste,

É raiz,
mais seca,
mais cacto,
mais sol,
mais vermelha,

Maior,
Maior raiz!
Mais rasa,
Mais profunda,
mais Nordeste,
mais Raiz!




Por enquanto...

por enquanto permanece
por enquanto tudo é, tudo está
por enquanto ainda aguentamos
por enquanto só esperança
por enquanto só espera

por enquanto o futuro
por enquanto amanhã melhor
por enquanto dia inferno
por enquanto liquidação
por enquanto prisões
por enquanto, enquanto o encanto dura

por enquanto
enquanto
por quanto?
até quando?



Dez caminho

Eu perdi a via
e encontrei o chão,
não há pior maldição,
que ver que tudo é caminho.
Mais do que só aquela,
só aquela velha via.




[Eu me visto
in visto
re visto
por isso em mim eu mesmo insisto]




Inté

8 de mai de 2010

Saia deste corpo, que ele não te pertence!





Nada pra dizer além do que já digo.


Alma

Desconheço a alma,
não a conheço; em mim não sei.
Se a perde, também perde a calma?
enquanto chora velório, somente rirei.

Parte essência? Essencial?
Burrice criar verdade tão invisível.
Como achar a vida em algo tão anti-vital.
Um éter, um vago, uma vida em outro nível.

"Como contesta, ser de alma vil e pobre?"
Sinto muito, não sou alma. Sou gente.
Às vezes sua alma-nobre, é gente mais podre

Creia uma crença de um ser assim tão crente,
que dessa vida só idéia sobre.
Morro sem alma, mas vivo humanamente.



Bio Lógico

Pegue uma pessoa,
ou uma peça anatômica,
como queira.

A estire em uma maca,
Disseque e diga.

Os genes, enzimas, órgãos, hormônios, sinapses.
Justifique assim, os atos e impulsos,
as saudades e dores,

" - Mas não seria um caso de distúrbio do hormonônio CLMNJK32227?
- Boa análise. Tomem nota, essa proteína tem..."

Use seus olhos,
como se esses fossem de vidro.
Se esses já não forem.



Hábito da leitura

Ele lia tanto,
lia, mas lia tanto,
tanto que lia,
lia tanto, tanto, TANTO!

Que virou um livro.
Suas mãos eram folhas,
suas idéias eram citações,
sua altura era em parágrafos,
sua religião eram sermões

Estranho ele se tornou,
ilha de livro,
ao menos tornou-se inteligente.
homem-livro.
Tudo o que ria era teoria

Não via,
não falava,
não pensava,
só lia.



Gelo

A noite acaba,
quem sobrevive ao dia?
e os dias frios,
gelam as calçadas,
e o motor ainda funciona,
exala carbono,

E frio ainda funciona?
Ainda gela?
não quem percebe o clima,
não o cientista,
não o político,
não eu,

Mas quem percebe é a calçada,
é a favela,
é a falta,
do mundo,
a falta,
cheia de frio



Murmurrar

Já foi meu tempo?
Já foi minha vida?

De mim nem se despediu,
Adeus!
Disse ela.
Eu não ouvi,
por que sou meio surdo?

Fale mais alto,
Fale mais alto, minha vida,
Que eu te ouço.



Vela acesa

Quero resgatar,
Resgatar seu humano,
Resgatar ser humano,

Não um bombeiro,
que te recupera só da ponta da vida.
Não um médico,
que te recupera da febre da vida.
Não um terapeuta,
que te recupera para os dias da vida.
Não uma puta,
que resgata um prazer da vida.
Não um carcereiro,
que resgata o comportamento da vida.
Não um lixeiro,
que resgata a dó da vida.
Não um deus,
que resgata a morte da vida.
Não um diretor,
que resgata a regra da vida.

Quero me resgatar em você,
e resgatar o que há de você em mim.
Um resgate,
talvez seja isso que precisamos.








Inté