20 de set de 2010

oLé!




Os que eu mais dei folego foram "desvio" e "Pontual", mais no primeiro do que no segundo. O resto são esporádicos poemas; mais fáceis, ou proto-poemas difíceis.


momentum

Sentir
tão aguda felicidade
que rompe a manhã,
mata a noite,
pare o dia,

Uma só agulha
faz o verão



coveiro

Enterro minha tristezas
em covas mais diversas.
Com a pá bato três vezes
na terra fofa,
PAF
PAF
PÉIM...
... outra pedra que surge
Lá me ponho a cavar
novamente,
cavar,
cavar,
cavar,
cavando
tristemente



3,2,1,

homem-pomba,
homem-pomba
voa em pedacinhos,
alastrando a paz em seus miúdos
paz vermelha,
de tão branca



jogo político

direita, esquerda, tchap, tchap
esquerda, direita, tchap, tchap...
e o verão continua.



(Peixinho é)
ou
(Bater do sino)

Tanta lata desovando filho,
que mesmo filho parece lata



justa troca

Na troca mútua de humilhações
todos saem ganhando.



desvio

Bom é ver
como seus olhos tem medo
de outros

Vê você:
par de toureiro atiçando
dois touros



Indo para o tronco

De noite eu rirei
Todas des graças que de dia engoli?
E mesmo acertando o que errei,
ainda terei o sabor de que não venci?

E será que me perguntando
desenterrarei minhas próprias respostas?
Pois meu desespero já anda olhando,
como inventam e chicoteiam-se costas.



Manual I

Autístico,
a aute pelsegue
o autista,
outlo mundo,
sulealista.



Pontual

Com pontos juntei.
minha carne que separava,
quebrada uni,
Forçei à coladas

Com pontos quebrei.
minha carne grudada,
pregada separei,
Rasguei à pontadas

Por pontos eu passo.
Cirurgicamente.
ponto à ponto
passo à passo
consturando
despontando me acho.










Inté

14 de set de 2010

Gosto discutível


Escritos novos.


Poema de mesa

Eu pus na salmoura.
E se eu nunca te amasse?
...
Me passa a cenoura,
me dá o alface...



Olhos nos olhos

Acreditaria em mim
se fosse preciso;
pois com meus olhos vesgos,
que olham a si mesmos,
só enxergaria necessidade,
em outros olhos de mim tão esmos.

Outros olhos,
a desentender-me:
obtuso globo oblíquo.
Sendo eu desajuste ocular;
lugar em mim tão longínquo.



didática

desde muito fui adestrado
a bater palmas,
comer de garfo,
não peidar na mesa,
amar com dor,
desejar aos poucos,
passar de ano,
não morrer,

tenho aprendido meu número da roupa,
como minhas calças dizem das minhas pernas,
a honra do sofrimento,
que as horas não tem brincadeiras,
que o céu não é verde,

Estudos: são integrais,
um curso fixo da grade.
Caderneta na mão não adianta
não vai conseguir copiar tudo.
Vá absorvendo, vá!
Não lhe faltarão
provas,
nem surpresas



Ausente

Sem-graça estava,
todos sorrisos,
todos abraços,
e ele? Nada.

cantaram salsa,
contaram história,
compraram-lhe par,
convocaram partido,
Contudo, nada.
sem ele
se desencontrava.



Gabarito

Julgue os itens a seguir
e marque
I para inocente, e
C para culpado



Baco

Fiz uma festa
para meus inimigos
mais íntimos.
Todos vieram.
Um trouxe absinto,
Uns trouxeram arsênico,

Vieram camarões,
amendoins,
pólens,
na esperança de uma alergia.

Ah, quanta alegria,
xingavam,
gritavam,
bebiam,
e quando necessário até sorriam.

E pude me expor à vontade,
mostrando-me alvo,
na mira de tanta bondade,
Lá podia cair no chão,
rolar,
amar, até.

Os doces venenos que traziam,
as puras invejas,
os orgulhos macios,
conversas pretenciosas,
todos intenções,
Eu ouvindo tudo,

Sendo eu anfitrião tão decente,
tratava-os merecidamente
mal.
Cantavam, calava
Escarravam, beijava

Estava sentindo
, em meio àquela companhia,
como o mais inteiro oposto.
e sorrindo punha outro rosto,

O sobrolho que me vinha
era o mesmo dos convivas,
aquela velha mistura
que está entre
ovos
e
vivas



acitílop

Posso até concordar
com o que dizes,
mas te defenderei
até
a
morte
.








Inté

6 de set de 2010

Sem ramo de oliveira


Primeiro um hai cai, sei lá se é mesmo, depois uns (a)normais. Tamo aí esperando alguma coisa pra motivar a espera.



Uma mulher
cheia de vírgulas,
nunca chega ao ponto.



fidelidade

Cachorro é o melhor
amigo do homem
que é seu dono



Doutro

Se enjoasse do gosto da minha língua,
dos fios dos meus cabelos,
Se negasse o que penso,
o meu corpo,
Se estranhasse meu passo,
meu rosto,
Se fugisse
Se me levasse
me rejeitasse
Ah, se
fosse!
Seria um exemplo.



Desplicações

Porque me sinto jogado,
sem motivos ou explicações,
só ali,
num canto de mim mesmo.
quando tropeço tomo cuidado para não cair em mim.



praga branca

Rasguei a paz
para examinar seu intestino,
advinha quem engolia?
Toda diferença,
todo indivíduo,
até ela mesma necessitava engolir-se.
Certificar-se,

Cuidado quando em paz,
pode estar morto,
pode estar engolido,



monoálogo

que coisas você me disse?
Pois eu só fui surdo de propósito.
Mesmo que tenha dito sem êxito,
"Pra ti sou toda surdice."









Inté